Educação bilingue / Alemão-Português em todos os graus

 

A Qualidade faz a Diferença!

 


Aktuelles / Atualidades



 
Atualização Coronavirus COVID-19
setembro 01, 2020

DSA – Escola Alemã do Algarve

PLANO DE CONTINGÊNCIA - COVID-19

versão 3.0 de 1 de setembro de 2020

No seguimento das recomendações da Direção-Geral de Saúde, e considerando a necessidade de proteger toda a comunidade educativa, a direcão aprovou o presente Plano de Contingência no âmbito da infeção pelo novo Coronavírus SARS-CoV-22, agente causal da COVID-19.

Este plano contém oito componentes:

I - coordenação do plano e das ações;

II - prevenção da infeção;

III - plano de higienização;

IV - reação em caso de suspeita de infeção;

V - reação em caso de infeção de um membro da comunidade educativa;

VI - ação em caso de isolamento preventivo de algum membro da comunidade educativa;

VII - ação em caso de isolamento de um grupo de alunos/ professores/ funcionários ou em caso de ausência de um número significativo de colaboradores docentes e/ou não docentes;

VIII - fluxo de informação.

O plano será revisto e atualizado sempre que se verificar necessidade, nomeadamente pela existência de novas recomendações ou imposições por parte das autoridades competentes.

 I - Coordenação do plano e das ações

 1. A coordenação do plano de contingência é responsabilidade de Christa Liebig, Gerente, auxiliada por Maria Amélia Ferreira, 2ª Diretora e Maren Grey, Assistente da Gerência. As três poderão ser contactadas em qualquer momento para 965667257 geschaeftsleitung@ds-algarve.org (Christa Liebig) 918119746, mgrey.dsa@gmail.com (Maren Grey) e 961681833, maf.dsa@gmail.com (Maria Amélia Ferreira).

 

2. Qualquer ação no âmbito do plano deverá ser prontamente comunicada ao coordenador ou, na sua ausência ou incontactabilidade, a Maria Amélia Ferreira ou Maren Grey.

 

3. Qualquer dúvida quanto ao plano de contingência por parte de qualquer membro da comunidade educativa deverá ser esclarecida junto do coordenador ou das auxiliares.

4 – 5.

 

II - Prevenção da infeção

1. Para melhor compreender as medidas deste plano, reproduzimos a informação da DGS sobre a transmissão deste vírus (https://covid19.min-saude.pt/perguntas-frequentes/, acedido a 7/08/2020):

“A COVID-19 transmite-se pessoa-a-pessoa por contacto próximo com pessoas infetadas pelo SARS-CoV-2 (transmissão direta), ou através do contacto com superfícies e objetos contaminados (transmissão indireta).
A transmissão por contacto próximo ocorre principalmente através de gotículas que contêm partículas virais que são libertadas pelo nariz ou boca de pessoas infetadas, quando tossem ou espirram, e que podem atingir diretamente a boca, nariz e olhos de quem estiver próximo.
As gotículas podem depositar-se nos objetos ou superfícies que rodeiam a pessoa infetada e, desta forma, infetar outras pessoas quando tocam com as mãos nestes objetos ou superfícies, tocando depois nos seus olhos, nariz ou boca.
Existem também evidências sugerindo que a transmissão pode ocorrer de uma pessoa infetada cerca de dois dias antes de manifestar sintomas.”
 

2. Assim, numa leitura adaptada à realidade da nossa comunidade educativa das medidas conjuntas sugeridas pela DGE / DGS, a Escola Alemã do Algarve adoptou um conjunto de medidas que regram o ensino presencial e que se baseiam nos seguintes princípios:

a)      Divisão dos alunos da escola em três grandes grupos: 1º ciclo (ca. de 50 alunos); 5º e 6º ano (ca. de 20 alunos); 7º ao 12º ano (ca. de 50 alunos), com adopção de medidas dissuasoras do encontro de alunos de grupos diferentes, sobretudo em espaços fechados. Em conformidade, foram reorganizados:

- os percursos e comportamentos na entrada e saída;

- os espaços para intervalos e para aguardar os pais;

- as atividades extra-letivas.

b) Subdivisão destes grupos em turmas nas horas das refeições (dentro das salas de aula das turmas residentes);

c)      Dentro de cada turma/ curso, em todos os ciclos, disposição das salas de aula de modo a:

- aumentar a distância entre alunos (um por mesa – ca. 1m);

- evitar que os alunos se sentem virados uns para os outros;

- minimizar o contacto com superfícies tocadas por outros;

- facilitar o constante arejamento das salas;

d) Com a colaboração de todos, reforço das medidas de higienização das superfícies de contacto e das mãos (especialmente aquando da entrada na escola, após os intervalos, antes e depois das refeições, depois de ser necessário remover a máscara ou mexer na cara);

e) Informação por via eletrónica (a toda a comunidade educativa) e presencialmente pelos Diretores de Turma (aos alunos e, se necessário, aos pais) sobre todas as medidas, incluindo: etiqueta respiratória; higienização das mãos e pés; evitar tocar e facilitar a higienização das superfícies de toque; não partilhar objetos, bebidas e alimentos; distanciamento; utilização e manuseamento das máscaras (quando aplicável); comportamentos a adoptar e espaços definidos para grupos e sub-grupos nos momentos em que estejam presentes alunos de vários grupos (p.e. entrada e saída) – algumas destas informações são também suportadas por infografias expostas na escola;

f) Utilização de máscara por todos os adultos e alunos a partir do 5º ano de escolaridade;

g) Sensibilização das famílias e alunos para a necessidade de cumprimento rigoroso dos horários;

h) Sensibilização da comunidade para a importância de não ir à escola e contactar a Linha de Saúde 24 no caso de se manifestarem febre, tosse ou dificuldades respiratórias;

i) Substituir reuniões presenciais com os E.E. por contactos telefónicos/ via plataforma, videoconferências ou, se necessário, reuniões individuais;

j) Evitar a entrada na escola de adultos que não façam parte da comunidade educativa.

2.1. Sobre comportamentos e medidas mais específicas que contribuem para as acima definidas, consultar o documento “Plano A – Ensino Presencial”, que é do conhecimento de todos os membros da comunidade educativa (duas partes: informação para toda a comunidade educativa e informação para professores).

III - Plano de Higienização:

 1. Funcionários de limpeza:

A escola tem um plano de higienização de acordo com a “Informação da Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares com a orientação da Direção-Geral de Saúde e a colaboração das Forças Armadas”

 

2. Professores:

 

Na nossa escola, os professores assumem funções de vigilância dos alunos não só durante as aulas, mas também à entrada e saída da escola, durante os intervalos e refeições. Assim, independentemente da higienização reforçada pelas equipas de limpeza (ver acima) também os professores têm funções no plano de higienização, a saber:

a) orientar os alunos na higiene dos pés e mãos;

b) higienizar mesas, costas das cadeiras, manípulos de portas e janelas sempre que uma sala seja usada por uma turma que não seja a residente ou na utilização das salas de arte, ATL, cursos de línguas, informática, laboratório, auditório;

c) higienizar mesas de convívio e eventuais equipamentos nos espaços (divididos pelos grupos) de intervalo/ convívio;

d) orientar higienização das mãos e das superfícies antes e depois das refeições (nas salas de aula de cada turma);

e) manter salas de aula e de professores arejadas;

f) colaborar na higienização da sala de professores e equipamentos partilhados (PC, fotocopiadora).

 

IV - Reação em caso de suspeita de infeção

 

Em caso de suspeita de infeção do próprio ou de terceiro no recinto escolar (febre ou tosse persistente ou tosse súbita ou agravamento de tosse ou dificuldade respiratória):

 

A - Tratando-se de adulto:

 

1 - Dirige-se de imediato para a sala de isolamento pelo percurso definido (ver abaixo - D) e contacta daí a secretaria e a linha de Saúde 24.

 

B - Tratando-se de aluno:

 

1 - É acompanhado por um seu professor (o que o lecionava no momento ou o Diretor de Turma) para a sala de isolamento pelo percurso definido (ver abaixo - D);

 

1.1. – Já na sala de isolamento, o professor contacta de imediato a secretaria da escola e a linha de Saúde 24;

 

2 - A secretaria contacta o Encarregado de Educação;

 

3 – Caso o Encarregado de Educação, depois de informado, se desloque à escola e exija entrar na sala de isolamento, terá de ser autorizado a fazê-lo; caso o E.E. exija levar o seu educando para casa, o professor/ coordenador do plano/ funcionário da secretaria, não tendo como impedir, deve acompanhar aluno e E.E. até à saída, garantir que não tocam em nada e não contactam com ninguém e em caso algum o telefonema com a Linha Saúde 24 deve ser interrompido, antes continuado.

 

C - Em ambos os casos:

 

1 - Ao dirigir-se (ser dirigido, no caso de aluno) para a sala de isolamento, a pessoa não pode tocar em quaisquer superfícies nem interagir com terceiros;

 

2 - O professor ou a secretaria informam a coordenadora do plano (ou, na sua indisponibilidade, uma das duas auxiliares);

 

3 - É reforçada a limpeza e desinfeção das superfícies mais utilizadas pela pessoa suspeita de infecção, bem como a da área de isolamento;

 

4 - Os resíduos produzidos pela pessoa suspeita de infeção são acondicionados em duplo saco, de plástico e resistente;

 

5 - Depois de concluído o telefonema com a Linha de Saúde 24, o adulto que telefonou informa a coordenadora do plano (ou, na sua indisponibilidade, uma das auxiliares) das medidas indicadas pelas autoridades e a secretaria apoia na sua concretização;

 

6 – São também contactadas pela secretaria ou por um professor fluente em português as autoridades de saúde locais.

 

6.1. A coordenadora do plano (ou, na sua indisponibilidade, uma das auxiliares) é informada desse contacto e dos resultados do mesmo.

 

7 – Os adultos envolvidos comprometem-se a seguir as instruções das autoridades de saúde.

 

D – Sala de isolamento – identificação, acesso, equipamento, comportamento

 

1. A sala de isolamento, é o escritório 2, no 1º andar (sala da Direção). Na sala de isolamento, ventilada naturalmente por janela, estarão disponíveis: telefone, água, alimentos não perecíveis, contentor de resíduos (abertura não manual e saco plástico com espessura de 50 ou 70 mícron), luvas, máscaras, duas máscaras EPI (respiradores), solução antisséptica de base alcoólica, manta descartável, lenços descartáveis, termómetro.

 

2. O percurso privilegiado para a sala de isolamento são os corredores em torno do jardim interior/ pátio central (se a pessoa vier de uma sala de aula) ou os relvados/ terreno (se a pessoa vier do exterior), sempre inevitavelmente com passagem pela entrada principal, sem tocar em nada;

 

3. Havendo utilização da sala de isolamento, é também evacuada e encerrada a sala 12 e isolado o WC mais próximo;

 

4. Enquanto em uso, é vedado o acesso à sala de isolamento a todas as outras pessoas, exceto se a pessoa em isolamento for aluno menor, caso em que estará sempre acompanhado por um seu professor;

 

5. O adulto (com sintomas ou acompanhante) deve ter consigo o telemóvel (para evitar utilizar a linha da rede fixa);

 

6. O adulto (com sintomas ou acompanhante) pode colocar uma máscara EPI (na sala de isolamento);

 

7. As portas da sala devem ser fechadas, mas as janelas devem ser todas abertas.

 

 

V - Reação em caso de infeção de um membro da comunidade educativa

 

1. Pedimos que qualquer membro da comunidade educativa que saiba estar infetado por Coronavírus SARS-CoV-22 ou que tenha um membro do seu agregado familiar infetado informe a coordenadora do plano ou uma das suas assistentes;

 

2. A secretaria deverá, se necessário solicitando colaboração dos DT, preparar um documento de que constem os nomes, endereços e contactos dos alunos, professores e funcionários com quem tenha havido contacto nos 15 dias precedentes, devendo ser destacados a vermelho os nomes que tenham estado em contacto direto em espaço fechado;

 

3. Caso as autoridades de saúde (nacionais ou regionais) ainda não tenham contactado a escola, deverá ser a escola a tomar a iniciativa desse contacto:

- Linha de Saúde 24 (secretaria);

- Autoridades regionais de saúde Maria Amélia Ferreira, ou, em sua substituição, outro professor/ funcionário fluente em português;

- Proteção civil – autoridade responsável pela desinfeção do espaço - Maria Amélia Ferreira, ou, em sua substituição, outro professor/ funcionário fluente em português;

 

4. A coordenadora do plano deve ser informada do resultado desses contactos;

 

5. A partir daí, devem ser seguidas as instruções das autoridades;

 

6. Caso não haja tempo útil entre a informação sobre a infeção de um membro da comunidade educativa e o contacto com as autoridades de saúde, a escola deve ser preventivamente encerrada a partir das 13h30 ou das 16h30 desse dia ou no dia seguinte (entra em vigor o Plano C – ensino à distância) até haver mais informações;

 

6.1. – No caso de infeção de um membro do agregado familiar de um membro da comunidade educativa, esse deverá cumprir as instruções das autoridades de saúde e abster-se de vir à escola até que a escola obtenha instruções das autoridades de saúde, mas não haverá enceramento da escola por iniciativa própria (não se aplica o ponto 6);

 

7. Todos os membros da comunidade educativa devem ser prontamente informados da decisão de encerrar preventivamente a escola (6) ou das medidas decretadas pelas autoridades de saúde, que previsivelmente deverão implicar a entrada em vigor dos planos B.2 ou C.

 

VI - Ação em caso de isolamento preventivo de algum membro da comunidade educativa

 

1. Tratando-se de aluno, o E.E. deverá prontamente informar o DT da medida de isolamento e deverão os professores tentar providenciar o máximo acompanhamento possível em ensino à distância, recorrendo à plataforma schoolfox;

 

2. Tratando-se de professor, deverá informar a direção da escola, que organizará a sua substituição, colaborando o professor com os docentes que façam as substituições de modo a juntos assegurarem o acompanhamento letivo dos alunos;

 

3. Tratando-se de funcionário, deverá informar a gerência, que providenciará a sua substituição.

 

 

VII - Ação em caso de isolamento de um grupo de alunos/ professores/ funcionários ou em caso de ausência de um número significativo de colaboradores docentes e/ou não docentes

 

1. No caso de isolamento de um grupo de alunos e/ou número significativo de professores/ funcionários, entra em vigor o plano B.2.

VIII – Fluxo de informação

1. Cabe a todos o dever de se manterem informados. Fontes de informação quanto à evolução da pandemia:

https://covid19.min-saude.pt/

https://www.bundesgesundheitsministerium.de/coronavirus.html

https://www.bundesregierung.de/breg-de/themen/coronavirus/coronavirus-aktuelle-informationen

Linha de Saúde 24: 808 24 24 24; serviço online: https://www.sns24.gov.pt/servicos/

 

2. Divulgação dos planos (A, B, C, Plano de Contingência)

a) antes do início do ano letivo:

- o plano de contingência e o Plano A serão divulgados por e-mail (plano de contingência também no site da escola);

- esclarecimento presencial dos professores;

b) início do ano letivo:

- informação e esclarecimento de dúvidas dos alunos e pais através dos DT;

­­- divulgação dos Planos B e C;

- afixação de infografias;

c) no decurso do ano letivo:

- atualização da informação (e eventuais alterações aos planos) através da plataforma schoolfox;

 

3. Emergências: cadeia de contacto telefónico

 

1)  primeiro contacto: coordenadora do plano ou uma sua assistente

C. Liebig: 965667257; M. Grey: 918119746; M. Ferreira: 961681833

2) coordenadora do plano/ assistente » gerência e equipa de direção pedagógica;

3.1) gerência » funcionários não docentes

3.2) equipa de direção » professores;

4) Diretores de Turma » pais.

           

 
DSA - Deutsche Schule Algarve